No mundo corporativo muito se fala em estratégia, mas poucos de fato conseguem executá-la. A experiencia em consultoria em gestão mostra que 3/4 das organizações tem dificuldades em implementar suas estratégias. Quais são as principais dificuldades?

As três principais dificuldades são:

  • Falha na comunicação;
  • Recursos indisponíveis ou inadequados;
  • Ações que não são claras ou bem definidas.

Então o que é preciso ter para aumentar o índice de sucesso de execução da estratégia? Como fazer uma gestão eficiente e sistêmica para a obtenção do sucesso?

A resposta é Balanced Scorecard (BSC) ou Painel Balanceado de Indicadores, é isto mesmo, esta é uma ferramenta que deve conter objetivos coerentes com a estratégia da empresa e com medidas de desempenho que traduzem as perspectivas financeiras, dos processos, dos colaboradores e dos clientes.

Ou seja, o BSC traduz a estratégia da empresa de forma objetiva e simples deixando claro para todos suas prioridades. Logo, ele deve possuir objetivos, cada objetivo deve ter no mínimo um indicador, cada indicador deve possuir uma meta desafiadora porém factível e cada meta deve vir acompanhada pela execução de um robusto plano de ação.

Toda empresa deve se basear em indicadores para tomada de decisão e fazer gestão, pois quem não controla não gerencia e os erros mais comuns neste processo são:

  • Excesso de dados e pouca informação (o fato de ter dados não garante informação, é necessária uma boa análise para entender as principais causas do problema);
  • Dados inconsistentes e fontes não confiáveis;
  • Indicadores sem relação de causa e efeito;
  • Indicadores que não contribuem para a análise da estratégia.

Com o uso do BSC a estratégia passa a ser traduzida de maneira estruturada e com métricas associadas, o grande desafio agora passa a ser a cultura de confrontação, execução e acompanhamento, para que a empresa não entre na estatística de dificuldade de implementação da estratégia.

Por Maria Augusta Genaro, Consultora de Gestão